Arquivo de Tag | Datas Comemorativas

Peça: O circo

Resultado de imagem

 

Oi, pessoal!

Hoje venho compartilhar mais uma peça que pode ser usada na programação do Dia das Crianças. Essa peça foi adaptada por mim, baseada em uma apresentação que há muito tempo vi numa igreja. Nunca consegui conhecer o texto original e o autor. Se alguém souber, deixe aí nos comentários.


                               O circo

Personagens:   Dois palhaços

 

Palhaço Zuzu – Eu sou o palhaço Zuzu! A festa vai começar! Atenção! Agora vamos apresentar o palhaço das crianças!

Palhaço Só Riso – Eu sou o palhaço Só Riso!  Hahahahahahaha!  Sabem porque me chamam? Hahaha! Porque eu alegro todas as crianças! Elas gostam de rir de mim. Hahahahaha! Eu faço piruetas, eu bato palmas e pulo pra lá e pra cá. Como eu gosto de brincar! Agora criançada, preste atenção em tudo o que eu falar. Eu  vou perguntar e vocês vão responder, combinado?

Quem gosta da mamãe?

Quem gosta do papai?

Quem gosta da titia?

Quem gosta do titio?

Quem gosta do vovô?

Quem gosta da vovó?

Quem faz xixi na cama?

Hahahahahahahahahah faz xixi na cama!…

Fiquem bem quietinhos que eu vou pegar o palhaço Zuzu, ele está chegando.  Oi, palhaço Zuzu, você sabe me responder o que cai em pé e corre deitado?

Palhaço Zuzu – Ah! Essa é fácil! É uma minhoca de paraquedas!

Palhaço Só Riso – Falem pra ele crianças, o que é? (Chuva) Agora repita comigo: Ema, ema, ema, ema, ema, ema,

Palhaço Zuzu – (Repete)

Palhaço Só Riso – Como se chama a clara do ovo?

Palhaço Zuzu – Gema.

Palhaço só Riso – Hahahahaha!… Ele não sabe de nada! É, crianças… Estamos chegando ao final de nosso espetáculo. Tchau! Até outro dia criançada!

Palhaço Zuzu – Tchau, criançada! (Saem de cena.)

(Coloca uma música.) Entra o palhaço Só Riso muito triste, com a mão no rosto.

Palhaço Zuzu – O que aconteceu palhaço Só Riso? Por que esse desânimo? Por que essa tristeza? Não gostou do espetáculo?

Palhaço Só Riso – Gostei muito.

Palhaço Zuzu – Você estava tão engraçado! As crianças gostaram tanto! Como elas riram! Você estava tão alegre!

Palhaço Só Riso – Eu sou alegre só por fora! Por dentro eu sou muito triste!…

Palhaço Zuzu – Por quê?

Palhaço Só Riso – Eu não sei. Eu resolvi ser palhaço para ver se traria alguma alegria, mas estou vendo que não adiantou… eu vou sair do circo! Eu não aguento mais essa tristeza!

Palhaço Zuzu –  Ah! Eu sei o que está faltando em sua vida. Observe esses corações. Eles têm uma história para lhe contar.

Palhaço Só Riso – Então me conte palhaço Zuzu!

Palhaço Zuzu – Você está vendo este primeiro coração? Ele é amarelo! E nos lembra que lá no céu é um lindo lugar, as ruas são de ouro e as portas são de pedras preciosas. Lá ninguém chora, ninguém fica triste nem doente. Mas escute bem, há uma coisa que nos impede de entrar no céu! É o pecado! E você sabe o que é pecado?

Palhaço Só Riso – Eu sei sim o que é pecado. É falar palavrão, brigar, desobedecer e muitas coisas mais…

Palhaço Zuzu -Isso mesmo! Pecado é tudo que eu penso, ouço, vejo e falo que não agrada a Deus! Pecado é sujo igual a este coração. Mas não fique triste, pois Deus providenciou um meio de irmos para o céu.

Palhaço Só Riso – E qual foi este meio?

Palhaço Zuzu – Você está vendo este terceiro coração? É vermelho. Deus nos ama tanto que enviou seu filho para morrer na cruz pelo nossos pecados. Olha só… quando você corta o dedo o que sai?

Palhaço Só Riso – Uai, é sangue! E sangue é vermelho igual a cor do coração!

Palhaço Zuzu – O sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. E você sabe  a cor desse outro coração?

Palhaço Só Riso – Sei, sim. É branco.

Palhaço Zuzu – É isso ai! Quando você aceita Jesus com seu único e verdadeiro Salvador, Ele  perdoa todos os seus pecados e seu coração fica limpinho. Dessa forma você pode ir para o céu e ter uma alegria que ninguém pode tirar.

Palhaço Só Riso – Que bom! Eu quero aceitar Jesus. Eu quero ser uma pessoa alegre por dentro e por fora!

Palhaço Zuzu – Então eu vou orar por você está bem? “Pai celeste, aqui está o palhaço Só Riso! Em nome de Jesus eu venho te pedir que perdoe os pecados dele e escreva seu nome no livro da vida e dê a ele a verdadeira alegria! Em nome de Jesus. Amém!

Palhaço Só Riso – Ai! Que alívio! Parece que  tirei um peso de cima de mim! Ai, estou tão alegre que estou com vontade de dançar, pular, cantar… Eu não quero mais sair do circo!

Palhaço Zuzu – Você verá que daqui pra frente sua vida vai melhorar.

Palhaço Só Riso – Oba! Agora eu sou uma pessoa alegre por dentro e por fora!  Vamos cantar!

(Canta com o ritmo da música Ciranda Cirandinha)

” Jesus entrou na minha vida

agora sou bem diferente!

Sou um palhaço sorridente

E alegro muita gente!   Ha, ha, ha!”

 

Peça: Em busca do tesouro

as-crianc3a7as-e-a-bc3adblia

Oi, pessoal!

Hoje compartilho uma peça que pode ser usada na programação tanto do Dia das Crianças quanto do Dia da Bíblia. Ainda há tempo de ensaiar para o Dia das Crianças, hein?

Nunca consegui descobrir quem é o autor dessa peça. Se alguém que passar por aqui souber, deixe o nome nos comentários, por favor.

 


Em busca do Tesouro

Personagem: Uma pessoa para ser o pirata e uma criança Se você quiser pode dividir o diálogo entre várias crianças.

 

Pirata – Buá! Buá! Buá!…Ah, como sou infeliz! Ninguém gosta de mim! Que vida triste! Buá!  Buá! Buá! Eu queria tanto ser feliz!…

Criança – Um pirata chorando? Ei, seu pirata! Por que você está chorando?

Pirata – Porque eu não sou feliz…

Criança – Sabe pirata triste, não fique assim! A vida é tão linda! Como você é infeliz se é dono de tesouros e mais tesouros preciosos?

Pirata – É verdade! Tenho muitos tesouros, muito ouro, muita prata, muitas pedras preciosas e joias mil… Mas eu não sou feliz! Tenho um vazio tão grande dentro de mim. Sinto-me triste, vazio e mau! Sinto raiva e brigo, xingo… falo muitas mentiras… Ah, como sou infeliz!

Criança – Xi!… Você está mau mesmo! Você tem muito tesouros, mas não tem o maior tesouro do mundo. O maior e mais precioso! Precioso porque este tesouro preenche o vazio do seu coração e enche nossa vida de alegria e paz, afastando assim toda maldade!

Pirata – É mesmo? Mas que tesouro é este? Onde posso encontrá-lo? Seja a onde for em alto mar ou nos confins da Terra, buscarei este tesouro para mim. Nem que seja preciso cavar muitos dias. Eu quero esse tesouro! Quero ser feliz! Quero acabar com este vazio do meu coração! Eu não quero ser mau! Onde está o mapa?

Criança – Ora, pirata chorão! Não é preciso viajar e nem ter mapa algum! Não é preciso nem navio, nem pá e nem muito esforço. Este tesouro é Deus! A fonte da vida, do amor e da paz! Ele ama você e quer fazê-lo feliz! E o caminho até a Ele é Jesus, Seu filho! Ele mostrou com seus passos como devemos caminhar. E morreu numa cruz concedendo-nos o perdão de Deus. Nossos pecados, nossas maldades entristecem a Deus e nos afasta Dele.

Pirata – Você falou em pecado?

Criança-  Pecado é tudo que deixa Deus triste! Matar alegria de um sorriso, roubar a esperança de um sonho, brigar por causa de um doce… também usar nossas mãos para machucar e ferir os outros. Enfim, pecado é tudo aquilo que penso, ouço, vejo e falo que não agradam Deus. Sabe pirata chorão, o pecado é como uma doença. E essa doença destrói nossa vida. E Jesus é o médico que cura essa doença. Ele nos salva e nos cura, nos liberta. Você precisa ir ao encontro de Deus. Jesus é a ponte que nos leva a Deus. Ele disse: “Eu sou o caminho a verdade e a vida. Ninguém vem ao pai se não for por mim”.  Você precisa conhecer Jesus!

Pirata – Mas como posso conhecê-lo? Eu quero conhecer Jesus!

Criança – Você está vendo a arca do tesouro de Deus? (Ficar com a Bíblia na mão.)

Pirata – Arca do tesouro de Deus?

Criança – (Mostrar a Bíblia) Aqui estão todas as joias de Deus!

Pirata – Joias de Deus?

Criança – Isto mesmo! Este livro aqui é a palavra de Deus! Leia e ouça a voz de Deus falar em seu coração e creia Naquele que está falando com você.

Pirata – (Pega a Bíblia.) Obrigada, amiguinha! Achei o maior tesouro do mundo. Oh, que bom! (Abre a Bíblia e lê.) “Lampada para os meus pés é a Tua palavra e luz para o meu caminho.”

Criança – Ei, Pirata Chorão? Você precisa aceitar Jesus em seu coração. Deus está pedindo o seu coração! Na Bíblia está escrito: “Filho meu dá-me o teu coração”. Ele quer transformar sua vida!

Pirata – Oh! Eu quero, sim!  Jesus! Eu te aceito como meu salvador! Perdoa meus pecados e vem morar no meu coração. Em nome de Jesus! Amém! Que alegria! Que paz! Agora eu vou cavar esse tesouro e descobrir suas preciosidade para minha vida! Até logo, amiguinha!

Criança – Tchau pirata Nova vida! Que bacana! Ele encontrou o maior tesouro do mundo. Ele encontrou a palavra de Deus!

 

 

 

 

Peça: Amigo de Deus

as-crianc3a7as-e-a-bc3adblia

 

Oi, pessoal!

A peça que trago hoje pode ser usada para a programação do Dia das Crianças na sua igreja, ou em alguma Escola Bíblica de Férias (EBF).


Amigo de Deus

 

Personagens: Aninha, Carol, Pedrinho, Carlinhos, Mariazinha, Mentira, TV, videogame.

Música: Amigos de Deus – CD DT crianças.

 

Aninha entra sozinha dialogando com as crianças.

Aninha: Oi, criançada! Hoje vamos aprender o que é ser amigo de Deus. Eu sou amiga de Deus, mas infelizmente existem alguns amiguinhos meus que não são. Eu vou mostrar para vocês o que não é ser amigo de Deus.

Carol (falando com as crianças): Ai, ai, ai, criançada! Eu quebrei o vaso da mamãe! Ela falou para eu não mexer e eu mexi. O vaso fez plaft no chão e aí eu quebrei. O que eu faço?

Aninha: Oi, minha amiguinha, eu vou te ajudar.

Entra a Mentira.

M: Calma, calma, que eu cheguei! Eu vou resolver este problema.

Aninha: Ah, é? Mas como?

M: Simples, se ela mentir para a mãe, resolverá o problema.

Aninha: Mentir? Criançada, mentir é de Deus?

Carol: É sim, dona Mentira, você não é de Deus! E quem é amigo de Deus, é inimigo do mal. Vamos cantar aquela nossa musiquinha, Aninha?

Aninha: Vamos!

Elas cantam “Amigo de Deus”. A mentira sai cabisbaixa.

Carol: Eu não vou mentir para a minha mamãe.

Aninha: Deus está muito feliz com você! Vá para casa e conta para sua mãe, ela ficará feliz em saber que tem uma filha que só fala a verdade.

Carol sai. Entra Pedrinho.

Pedrinho: Oi, Aninha. Eu estou tão triste!

Aninha: Por quê?

Pedrinho: Porque eu queria comprar um tênis que vem com o carrinho junto, que eu vi na televisão, e o meu pai não quer me dar.

Aninha: Mas seu tênis está novo ainda, não precisa de outro.

Pedrinho: Eu também queria um brinquedo que vi na TV, é um super-avião, e ele também não quer me dar. Ah! E tem mais: eu também queria assistir ao desenho dos Monstros da Noite e ele não deixa.

TV entra.

Aninha: Pedrinho, quanta coisa! Você não pode querer comprar tudo o que você vê na televisão, seu papai não pode comprar tudo. Ele precisa comprar comida e roupas para vocês. Além do mais, esses desenhos só fazem mal. Eles fazem você ter pesadelos à noite e tiram o seu sono. Deus não gosta disso.

TV: Olá, criançada! Eu sou a Televisão, vocês gostam muito de mim, né?

Aninha: É, mas você tem ensinado muita coisa ruim para a gente.

TV: Pedrinho, cara, você tem que saber pedir para o seu pai. Insista bastante, e diga para ele que aqueles bichos que aparecem na TV não são tão ruins assim.

Pedrinho: São sim! A Aninha tem razão. Eu tenho pesadelos quando assisto aos monstros na TV, e a partir de hoje não vou mais assistir. E não vou mais desobedecer ao meu papai pedindo as coisas que assisto em você. Eu vou ser amigo de Deus e inimigo do mal. Vá embora! Tchau!

Eles cantam: “O Amigo de Deus é inimigo do mal…”

Aninha: Pedrinho, vá para casa e conta para o seu pai que agora você entende que ele não pode comprar tudo o que você quer, e que você será obediente a ele.

Pedrinho sai. Carlinhos entra brincando com uma espada, como se estivesse lutando violentamente.

Aninha: Credo! O que é isso, Carlinhos?

Carlinhos: Oi, Aninha. Estou brincando de lutinha. Sou muito bom nisso… Serei igual ao meu herói do videogame, ele pega todos, ele é o maior, o mais forte. Ele até mata, você sabia?

Aninha: Por que você quer ser igual ao seu herói do videogame?

Carlinhos: Porque eu aprendi muito com ele, na escola nenhum coleguinha briga comigo, eu bato em todos eles.

Entra Videogame.

Videogame: Aí, companheiro, beleza? Esse aí é meu fã, ele não me larga.

Aninha: Ah, é? Mas saiba que tem jogos que você mostra coisas horríveis. Com seus jogos de lutar, você ensina as crianças a baterem nos outros. E tem muito bicho feio também. Carlinhos nunca quis bater em ninguém, ele era calmo, um amigo de que todos gostavam. Agora ele está perdendo os amigos da escola, porque aprendeu com você a ser ruim e a querer bater nos amigos.

Carlinhos: Então eu não sou mais bonzinho? Eu estou perdendo todos os meus amiguinhos?

Aninha: Carlinhos, você quer bater em todo mundo… Assim, nem eu vou querer ser mais a sua amiga, e Deus está muito triste com você.

Carlinhos: Que vergonha! Eu quero voltar a ser bonzinho e deixar Deus bem feliz comigo, e ter vários amiguinhos.

Aninha: Então vamos jogar fora os jogos de bichos feios e de lutas?

Carlinhos: Vamos! Eu quero ser amigo de Deus e inimigo do mal. Tchau, seu videogame!

Videogame sai.

Aninha: Então você sabe o que deve fazer. Vai para casa e fale para a mamãe que você não quer mais os jogos dos bichos feios e de lutas.

Carlinhos sai.

Aninha falando com as crianças: Ufa! Viu, criançada? Para sermos amigos de Deus, temos que ser inimigos do… mal. Não podemos mentir nem para o papai nem para a mamãe, e nem para ninguém. Não podemos imitar as coisas que vemos pela televisão, não podemos assistir àqueles bichos feios que aparecem na TV, né? E o videogame? Quem aqui gosta? É, mas tem muito jogo que ensina coisas erradas. Lá aparecem muitos bichos feios, com chifres, com olhos grandes e deixa a gente com medo à noite, né? E tem aqueles jogos de luta que ensinam a gente a ficar mais brava com as pessoas. Aí a gente sai querendo bater em todo mundo, achando que é bonito isso. Então vamos todos ser amigos de Deus, certo?

Carol volta.

Carol: Aninha, Aninha!

Aninha: O que foi?

Carol: Minha mãe está muito feliz comigo! Ela brigou porque desobedeci, mas ficou feliz porque contei a verdade.

Pedrinho entra.

Pedrinho: Aninha, meu pai ficou muito feliz! Disse que sou um filho que dá muito orgulho!

Carlinhos: Pronto, Aninha, joguei tudo fora, e a mamãe gostou! Ela disse que assim eu terei mais amigos e não terei mais pesadelos.

Aninha: Amiguinhos, vamos comemorar e cantar uma música de Deus!

Todos: Vamos!

Entra Mariazinha cantando.

Mariazinha: Baba baby, baba… Éguinha pocotó, pocotó, pocotó…

Todos correm para calar a boca dela.

Aninha: Mariazinha, que coisa feia você está cantando. Uma música que não é de Deus.

Mariazinha: Mas era só um pouquinho, e todo mundo canta…

Aninha: Mas não pode. Você sabia que Deus nos criou para cantarmos apenas músicas dele e somente para ele?

Mariazinha: Meu Deus! Me perdoe (Com os olhos fechados). Então me ensina a cantar uma música de Deus?

Aninha: Vamos ensiná-la, turma?

Todos: Vamos!

 

Peça – O louvor da garotada

 

 

as-crianc3a7as-e-a-bc3adblia

Essa peça foi adaptada por mim, após eu ver uma apresentação dela em uma igreja, então infelizmente não sei dizer quem é o autor. Se alguém souber, deixe aí nos comentários. Essa peça pode ser apresentada tanto no dia da Bíblia como no dia das crianças.

 


 

Personagens:  Uma pessoas pra fazer a voz da Bíblia,  algumas crianças com brinquedos tipo: bonecas, carrinhos e bola.

Deixar uma Bíblia aberta onde for apresentar a peça. Crianças entram cantando  “Atirei o pau no gato” e ficam brincando….  Quando  são   surpreendidos com um choro.  (Quando eu apresentei essa peça  dividir entre as crianças o diálogo com a Bíblia.)

 

Bíblia – Chorando em oculto.

Criança – Que barulho é este? Quem está chorando?

Criança – Não sei. Parece que vem daquele livro.

Criança – Vem mesmo daquele livro.

Criança – Que bobagem, livros não choram!

Criança – Bem, este chora. Talvez ele tenha um nome.

Criança – Ei, seu livro, você tem um  nome?

Bíblia – Tenho.

Criança – Ele fala, ele realmente fala!

Criança – Mas qual é o seu nome?

Bíblia – Bíblia.

Criança- Bíblia, por que você está chorando?

Bíblia – Porque ninguém liga pra mim. Poucas pessoas me leem, as crianças não sabem as minhas histórias.

Criança – Ah, Bíblia! Eu vejo tantas pessoas com você na mão! Existem pessoas que contam suas histórias.

Criança – É verdade, eu já ouvi algumas. Eu sei a de Joãozinho e Maria, a Cinderela….

Bíblia – (Chora mais alto.)  Viu só? Estas são as histórias que as crianças sabem. Os pais não sentam para falar de mim com seus filhos. Em mim existe as mais belas histórias!

Criança – Ah, eu estou me lembrando de uma história que existe em você, eu posso contar?

Bíblia – Pode! Eu já estou até ficando alegre!

Criança – Então sentem-se e ficam em  silêncio.  Certa vez… (Contar a história de Davi e o gigante.)

Criança – Eu também sei uma e vou contar. Um dia na igreja, a tia disse que Jesus ouve as nossas orações e que  o perfeito louvor sai da boca dos pequeninos…

Criança – Boba criança não oram, só gente grande.

Criança –  Ora sim, inclusive na Bíblia, no livro de Atos, conta a história de uma menina que orava, o nome dela é Rode. Bíblia, eu posso te folhear para mostrar para as crianças?

Bíblia – Claro! Mas bem devagar, pois minhas páginas são finas.

Criança – (Começa folhear a Bíblia.) Achei! Está em Atos 12. (Conta a história.)

Bíblia – Sabe, eu  gostaria de ouvir vocês cantarem, em mim existem palavras tão lindas que o homem fez canções! Vamos ficar de pé e dedicar um louvor a Deus?

Todos – Vamos sim! (Escolher uma música.)

Criança – Poxa! Isto foi incrível! É isso que é louvor?

Bíblia – É. Mas para isso acontecer, temos que estar pensando em Deus e o quanto Ele nos ama. Olha… aí vem outra música, veja  como é grande o amor de Deus. (Escolher uma música, pode ser aquela: Grande tão grande…)

Criança – Que legal! Por que não pensamos em fazer isso antes?

Bíblia – Infelizmente as pessoas cantam e não louvam. Mas o que mais vocês sabem de mim?

Criança – Ah! Eu ouvi um dia, o homem falar de Sansão… Será que os garotos que estão aqui são fortes como Sansão?

Criança – Eu sou! Olha os meus músculos!!!

Criança – (Empurra o colega.) Você?  Ah, conta outra , você é um frangote… Sansão sim era um homem muito forte (Conta a história de Sansão.)

Bíblia – (Chora.) Estou preocupada com os pais que não educam as crianças no caminho do Senhor. Tem pais que trazem os filhos para a igreja, mas não ensinam nada sobre Deus e nem me abrem para ler.

Crianças – Bíblia, a mamãe vai à igreja, mas ela nunca me contou essas histórias e eu estou triste porque meus coleguinhas sabem e eu não. Acho que vou chorar também!… Eu posso mandar um alô para mamãe?

Bíblia – Pode sim!

Criança – Mamãe, papai, o mundo lá fora está tão difícil! Quanta maldade! Ensinem a seus filhos a palavra de Deus, dê exemplo a eles, conte as histórias de Cristo, sejam missionários para seus filhos.

Bíblia – Olha, parece que vem outra canção. (Escolher uma música que fale sobre Jesus viver em nós e como somos especiais.)

Bíblia – Viu como vocês são especiais para Deus?

Criança – Eu não sou especial para Deus!

Bíblia – Você também é especial

Criança – Eu sou? Eu sou? Eu sou especial para Deus? Oba! Obrigada  Senhor!

Bíblia – Isso mesmo. Todos vocês são especiais, pois vocês falam, cantam, brincam e sabem amar. Vocês  sabem que os animais também louvam a Deus?

Crianças – Ah, fala sério! Vai me dizer que eles também louvam a Deus?

Criança – Se eu pudesse ia cantar o tempo todo. Vamos cantar a música dos animais?

Criança – Claro! (Cantar uma música que fala dos animais.)

Criança – Bíblia, eu quero contar uma história (contar a história de Jonas)

Bíblia – Vocês viram? Deus não escolhe lugar para nos ouvir, portanto em qualquer lugar em qualquer hora vocês podem falar com Deus! Ouçam e cantem essa canção que vem ai… (Cantar uma música.)

Criança –  Sabe, estando aqui é como se eu tivesse no céu! Bíblia, existe alguma música sobre o céu?

Bíblia –  É lógico, pois o céu é um lindo lugar. (Cantar uma música sobre o céu.)

Criança –  (Empurra o colega.)

Criança – Não fui eu, seu burro.

Criança – Foi sim, e eu vou te bater.

Bíblia – Espere, por que brigar?  Dentro de mim diz que devemos amar nossos irmãos. Então, nada de brigas, vamos cantar! (Cantar uma música sobre o amor.)

Criança – Isto me faz sentir feliz! Dá vontade de gritar.

Criança – Vamos gritar?

Todos – Pai, eu te adoro! Jesus, eu te amo!

Bíblia – Veja, está vindo outra canção…. (Escolher uma música)

Bíblia – Que lindo! Mas está na hora de vocês irem embora. Mas antes eu preciso pedir algo para vocês. Vocês me fizeram feliz. Conte tudo isso que vocês viram e ouviram para os seus coleguinhas, ensinem as músicas na rua, na escola, em casa. Falem de Deus para as pessoas.

Todos – Olha Bíblia, nós agora sabemos que você é a palavra de Deus e em você vamos encontrar respostas para todos os nossos problemas. E as mamães vão ensinar seus filhos no caminho do Senhor.

Termina cantando uma música.

 

 

 

 

 

 

 

 

Jogral para o Dia do Pastor: Meu pastor

pastor

Olá!

Continuando as publicações especiais para o Dia do Pastor, venho compartilhar mais um jogral que pode ser ensaiado para a programação da sua igreja nessa homenagem. O Dia do Pastor é comemorado no segundo domingo de junho.


Meu pastor

PARTICIPANTES: 4 pessoas ou mais.

 

Voz – Que diremos deste homem,  reverendo (falar o nome do pastor), nosso pastor?

Todos – Só diremos boas coisas, pois ele é merecedor.

Voz – Ele é filho de Deus.

Todos – E cumpre bem os mandamentos seus.

Voz – Ele é moreno e elegante!

Todos – Ele é amável e sereno.

Voz – Ele é bem mocinho.

Todos –  E muito bonitinho.

Voz- Ele é culto e inteligente.

Todos – Ele é amigo da gente

Voz – Ele é sábio e intelectual

Todos – Também muito espiritual.

Voz – Ele é bondoso

Todos – E também sincero e carinhoso

Voz – Ele é trabalhador.

Todos – Tudo faz com muito ardor.

Voz – A esposa dona ( falar o nome da esposa) ele tem amor

Todos – Ele olha para ela com dulçor

Voz – É incansável na peleja.

Todos- Orienta bem a nossa igreja

Voz – é um grande servo do Senhor.

Todos- É constante o seu  fervor.

Voz – Hoje é o dia do pastor.

Todos – Que nós oremos por ele!

 

Poesia para o Dia do Pastor: Para o meu grande amigo

pastor

Oi, gente!

Continuando com as publicações especiais para o Dia do Pastor, hoje compartilho uma poesia que pode ser apresentada no dia da homenagem. O Dia do Pastor é comemorado no segundo domingo de junho.


 

Para o meu grande amigo

 

Hoje Senhor, minha oração é diferente,

quero pedir-te de coração ardente,

um bem especial para um amigo.

 

Ele é pastor.

E, como  é natural, é o homem de Deus.

Que anuncia a verdade.

E guia para o bem sua comunidade

Hoje é seu dia!

 

Às vezes o chamo de mestre,

quando vem falar comigo.

Mas pastor, doutor, professor,

em qualquer dessas funções,

ele é sempre o amigo.

 

Ele me inspira coragem

e irradia ternura,

mesmo com rosto fechado

desprende  serenidade.

 

Se sorrir é de alegria

ou, quem sabe, ele esconde

a dor de uma picada

de espinho de profissão

do corre-corre da vida

o fruto da ingratidão

 

Mesmo se isso acontece

Ele é sempre o pastor.

É para este Senhor,

é para ele que peço

uma  benção  especial.

 

Não sei o que pedir,

mas sabes o que ele almeja.

E como orvalho que desce

Benfazendo a natureza,

seja ele abençoado

em recompensa das flores

que distribui, em sua lida

na sua comunidade, dando mais vida a cada dia,

anunciando a verdade.

Jogral para o Dia do Pastor: Nosso Pastor

pastor

Olá!

No segundo domingo de junho é comemorado o dia do pastor. Muitas igrejas não comemoram mais essa data, mas algumas ainda fazem uma programação especial para homenagearem seus pastores. Para esse momento, vou compartilhar nos próximos dias algumas atividades que podem ser ensaiadas e apresentadas (pelas crianças, por exemplo). Começarei hoje com um jogral chamado “Nosso pastor”.

 


 

Nosso Pastor

( Thomas Jéferson Cunha)

 

PARTICIPANTES: 4 pessoas

 

1 – Hoje é seu dia.

3 – Por isso estamos aqui.

2 – Para nós expressarmos melhor a teu respeito.

4 – E te dizer que somos agradecidos pela tua vida.

Todos – Queremos te homenagear.

1 – Você é aquele pastor cuja personalidade é caracterizada pela perseverança.

4 – Você sabe que após as trevas da madrugada segue-se a bela e inspirativa aurora.

Todos –  E continua lutando.

2 – É forte, dinâmico. Sua mente, sua vida, está totalmente voltada ao evangelho. Você tem o rebanho, tem a visão da obra, tua força física e espirituais para o trabalhar.

Todos – Um grande lutador.

4 – É o seminarista que atendendo o chamado divino sonha em ter um rebanho para amar e cuidar conduzindo aos  pastos verdejantes ás águas de descanso, aos caminhos do Senhor.

Todos – O pastor (falar o nome do pastor)  tem um pouco de tudo isso…

1-   A experiência

2 – A perseverança

3 –  A visão

4 – Os sonhos

Todos – Pastor ( dizer o nome)

2 – Ministério profundo

3 – Confirmado em meio a muitas lutas

4 – Mas sempre coroado de vitórias

1 – Pois aquele que Cristo chama, Ele também capacita

Todos – Sentimos pelo nosso pastor

1 – Zelo pelas suas ovelhas

3 – Espírito de sacrificio

4 – Paciência com as ovelhas mais fracas

2 – Amor pelo seu rebanho.

Todos – Queremos lhe dizer que é muito bom

1 – Saber que temos um pastor e um amigo.

2 – Lembrar de todo apoio  que já recebemos das tuas mãos

3 – Temos seu ombro amigo para chorar

4 – E acima de tudo de termos como nosso pastor.

Todos – Amigo, aceita, a nossa tímida manifestação de carinho. Que continuemos juntos por muito tempo ainda é o que realmente desejamos . Parabéns pastor pelo seu dia!

Peça para o Dia das Mães: “Filhos Agradecidos”

 

mothers-day-588088_1920

Olá!

Hoje no blog compartilho mais uma peça que pode ser ensaiada para a comemoração do Dia das Mães na igreja. A data está quase chegando!

——

Autora: Leila Saliés Fonseca

Personagens:

Margarida:  menina de 10 a 12 anos

Pedrinho: menino de 7 a 8 anos

Mamãe: Jovem senhora

 

Peça em ato único

 

Primeira cena

Cenário:  Uma mesa e cadeiras, xícaras, talheres, etc.

Ao abrir as cortinas, Margarida limpa a mesa. Pedrinho chega em seguida, com uma cesta cheia de pacotes.

 

Margarida – Já? Até que andou depressa!

Pedrinho – (Coloca a cesta  na mesa e senta-se,) Ufá! Estou é cansado, tive que andar muito para conseguir preços mais baixos.

Margarida – (Olha os pacotes da cesta,)  Então o dinheiro deu?

Pedrinho –  Sem sobrar um centavo. (Levanta-se) Agora vou esticar essas pernas e decorar o meu papel para festa das mães da igreja.

Margarida – (Esfregando as mãos) Está dando tudo certinho até agora. Tomara que mamãe demore bastante pra chegar… assim terei todo tempo necessário para preparar tudo. Mãos a obra! (Pega a cesta e sai)

 

Segunda cena

O mesmo cenário. Margarida entra de pijama  e andando nas pontas dos pés e coloca a toalha na mesa.

Margarida – Felizmente consegui acordar bem cedo, a tempo de pôr as coisas em ordem!

Pedrinho – (Entra de pijama, esfregando os olhos) Você me chamou cedo demais! O sol nem saiu.

Margarida – Cedo, não! Na hora certa. Daqui a pouco mamãe aparece e a gente não arrumou nada! Esqueça o sono e vá pegar as flores que coloquei no balde lá fora.

(Pedrinho sai e volta com as flores!)

Margarida – (Colocando as flores no vaso) Lindas! Muito lindas!

Pedrinho – E o bolo? Deu certo? Ficou gostoso?

Margarida – Fala baixo!  É claro que o bolo deu certo! Caprichei! Eu segui direitinho a receita e ficou com uma cara muito boa, parece que tá muito gostoso… Agora vamos arrumar a mesa, pega as xícaras, os guardanapos, os talheres…

Pedrinho – Tudo isso?

Margarida – É, agora você está vendo o que a mamãe faz todos os dias, durante o dia inteiro sem reclamar.  (Os dois arrumam a mesa em silencio)

Margarida – Você já sabe, nada de palavras decoradas. Vamos dizer o que está dentro do nosso coração, primeiro você fala e depois eu, assim que ela aparecer nos cantamos e logo você fala.

Pedrinho – E se eu ficar nervoso?

(Mamãe entra)

Mamãe – (Supresa) O que? Vocês de pé?

Margarida e Pedrino Cantam (com a musica de parabéns pra você)

“Parabéns a mamãe!

No seu dia de festa

Nós seus filhos prestamos …

Homenagem modesta…”

Margarina – Viva a mamãe!

Pedrinho – Viva!!!

(Os dois abraçam e beijam a mamãe,)

Pedrinho – Mamãe ,o que vou falar é do fundo do meu coração! Hoje, levantando muito cedo para ajudar minha irmã na cozinha, percebi o quanto a senhora nos ama!  Obrigada mamãe!!! (Abraça a mãe e entrega o seu presente.)

Margarida – Mamãe, a gente não sabe mesmo o que dizer. Pensei em tanta coisa bonita, mas não escrevi, porque combinei com o Pedrinho que falaríamos o  que sentimos  agora. Eu amo muito a senhora mamãe! (Abraça e dá seu presente.)

Mamãe – (Sorrindo) Puxa como vocês trabalharam! ( Olha a mesa as flores e o bolo) Tudo está tão bonito! Muito obrigada meus filhos! Fiquei contente com que vocês fizeram…

Pedrinho –  E agoram não vamos  comer o bolo? Estou louco de fome! (Mamãe e Margarida sorriem.)

Mamãe – Mas não vejo  o leite e o café na mesa…

Margarida – Um momento que eu vou buscar na cozinha… (volta rapidamente) Agora vamos tomar!

Mamãe – Vamos agradecer a Deus por esse dia de festa e pelo alimento! (Oram) Agora podemos comer.

Pedrinho – Que pena que papai tenha viajado… Vamos deixar um pedaço de bolo para ele.

Mamãe – Isso mesmo! Agora vamos comer depressa,  porque eu também quero ir fazer uma supresa para minha mãe.

Margarida e Pedrinho – Para vovó?

Mamãe – É, a vovó está velhinha, mas ainda gosta de supresas.

Pedrinho – Então vamos logo para lá que os bolinhos de queijo da vovó são deliciosos. (Sai) Mamãe e Margarida saem em seguida…